quinta-feira, setembro 18, 2014



Pensei, ontem, ser o último dia de campanha, mas olhei agora no site e ainda temos as horas de hoje para os que, em última hora, decidirem por participar.
Eu tou muito satisfeito, porque o disco já é uma garantia, depois que vocês se juntaram à idéia dele e depois eu vou querer nomear todo mundo outra vez, porque, puta que pariu, é foda!
Eu me lembro, de quando eu tava começando a virar um cara adulto - isso começou no final dos anos 80 e ta rolando até hoje – que eu andava pelas ruas de Niterói, embaixo dos edifícios, pensando que era cada um na sua, que ninguém iria causar interferência alguma, nem para o mal nem para o bem, nas coisas que eu desejava fazer e tal. Mas, aí, silencioso leit@r, que não é assim. Não adianta, não é assim.
Então, agora, hoje, eu vou nomear além de mim, só o pessoal da cozinha, assim, do fogão e do tanque:
Felipe, Leonardo, Rafael, João, Pedro, Ruth, Manoel, Marcelo, Tive, Alexandre, Baiano, Sacramento, Felipe Escovedo, Pedro spagnol, Tomba Records, Carlos Ortêncio, Ângela, Frederico... se esqueci alguém, é porque ta na sala...
Fui.

terça-feira, setembro 16, 2014



O exercício era:

Fazer uma composição no papel, a partir de dois postais escolhidos no armário.

 Então, escolhi “Descanso na fuga para o Egito”, de Gerard David – final do século XV – e “Diego em mi pensamiento”, de Frida Kahlo - 1943.
obs: E não esquecendo de nossa campanha que termina já amanhã: http://variavel5.com.br/projetos/poemamaldito/
Vejam no que deu, silencioso leit@r:

segunda-feira, setembro 15, 2014



Então, bom leit@r, faltam três dias para que acabe nossa campanha pra prensar o “Poema Maldito” e, como disse, porque a cota para a prensagem foi alcançada, ampliamos a meta para um videoclipe da música-título e, aí, você ainda pode, em adiantamento,  garantir o seu disco, pode conhecer outro de meus trabalhos artísticos escolhendo uma cota qualquer de seu acordo, aqui:
Fora isso, as coisas não param de rolar e, todos sabem que sou um cara lento, tipo, devagar e sempre e tudo. E a ficha vai caindo aos poucos. E, é verdade, o doc que Rafael bolou de fazer comigo, ganhou um edital da prefeitura do Rio.
Eu fico satisfeito demais com esse meu namoro com o pessoal do cinema que começou com o Cinema Orly e, aí, vocês sabem, era sexo, mas vocês também sabem da quantidade de namoro que há no sexo.
E, aí, tem uma idéia de filme com o Cinema Orly que fica rondando e essa idéia de um doc comigo começou quando o Silvio Figueiredo me conheceu, em 2002, acho. Depois, quando o Roberto Maxwell viu o nosso show do Bolsanova, Homens de Peito, comigo, Glauco e Sacramento, a idéia rolou outra vez.
Mas, agora, é bomba.
Rafael lacrô, em edital.
Fui!

domingo, setembro 14, 2014

Há três dias de acabar a campanha de crowndfunding para prensar o Poema Maldito, feliz e agradecido demais aos colaboradores por já termos alcançado a meta, quer dizer, silencioso leit@r, vai ter disco físico, e, aí, estamos voltando tudo e abrimos uma nova meta, fazer um vídeo da música-título do CD, Poema Maldito.
Então, o leit@r poderá ainda participar aqui:
http://variavel5.com.br/projetos/poemamaldito/
Fora isso, Pedro pegou no celular a hora em que cantamos Cinema ìris, no show A música do sábado, ontem:

sábado, setembro 13, 2014



Às oito horas da noite, hoje, apresentaremos nosso show, eu e Kali C.
Além disso, temos ainda 5 dias de campanha de Crowndfunding na tentativa de uma segunda meta, quer dizer, um  vídeo com para a  música “Poema Maldito - (Luís capucho/Tive)” que o Rafael vai fazer. O link é aqui para a escolha das cotas, bondoso leit@r:
E entusiasmado, porque ele ganhou, em edital da prefeitura do Rio, para fazer um documentário sobre o meu trabalho de arte: músicas, livros, e também minh’As Vizinhas...”.
Encomendei, ontem, os painéis onde farei  elas.
Me alegrou muito que alguns dos colaboradores tivessem escolhido “Vizinhas”  como recompensa. Eu não sei ainda quem as escolheu, porque no que é computado no site, não dá pra saber quem escolheu o quê. Mas a gente sempre sabe um pouco, aí, já sei do Tive e do Eduardo.
Eu tinha padronizado fazer minh’As Vizinhas...” em painéis 20x60cm, mas encomendei  7 painéis 20x70cm para fazê-las, no caso de mais algum colaborador entrar com elas, porque 5 já foram escolhidas.
Fiquei indeciso, porque com o pouco de aumento de espaço nos painéis, mudou tudo e vou ter que me virar ali, ta entendendo, bom leit@r? Quase telefonei pedindo pra trocar as medidas, mas depois deixei.
Também será importante, quando eu souber todos os que escolheram “Vizinhas” como colaborador, porque saber pra quem eu tou fazendo, interfere na hora de fazer. E é um tipo de boa interferência, se liga...
Fui.

sexta-feira, setembro 12, 2014



Estão todos convidados pro show que iremos fazer eu e Kali C, às 20 horas, no Gracioso Bistrô – Rua Coronel Tamarindo, 43 – Gragoatá. Tel : 3619 1700
Antes do show, à tarde, participarei do sarau literário “Um Brinde à poesia”, no Mac, promovido pela Lucília Dowslley. Então, devo tocar às 16 horas, pra não ficar tudo muito afobado.
Ouvi um show por indicação do Rogério Skylab em que o Gilberto Gil acompanhado apenas de seu violão toca pra os estudantes da USP, em 1973. Fico impressionado, quer dizer, eu fico admirado demais, de como o Gilberto Gil se amplia no palco, quer dizer, leit@r, não são apenas as músicas, é o Gilberto Gil, vocês estão entendendo?
E tem uma hora, em que ele manda esse texto que achei incrível.
Veja:
“Um dia ainda vou me redimir por inteiro do pecado do intelectualismo. Se Deus quiser... não vou ter mais necessidade de falar nada, de ficar pensando em termos dos contrários... de tudo, pra tentar explicar às pessoas que eu não sou perfeito, mas que o mundo também não é.
Porque eu não tou querendo ser o dono da verdade, que eu não tou querendo fazer sozinho uma obra que é de todos nós e de mais alguém, que é o tempo, o verdadeiro grande alquimista, aquele que realmente transforma tudo. Um pequenino grão de areia é o que eu sou. Só que o grão de areia já conseguiu sendo tão grande ou maior do que eu, ser bem pequenininho. E não precisar se mostrar mais, fica lá, trabalha em silêncio. Mais mineiro e eu sou mais baiano ainda... “
E, aí, tem uma outra história incrível também, uma espécie de Factory, em Salvador, onde está a Edith Cooper. E, aí, o Gilberto Gil chama ela pra um boquete, tudo ainda muito anos 60, aquele jeito que uma coisa boa tinha de começar a se anunciar no tempo, ainda pequena, ainda grão de areia, de entrar no cadinho, ta se ligando, generoso e bom leit@r?
Fui.
OBS: Não esqueçam minha campanha.Ela acaba dia 18 e teremos novidades nos próximos 6 dias.